A utilização de resíduos para a produção de bio-produtos, em específico a energia renovável não é apenas um assunto constantemente em pauta tanto no Brasil como no exterior. Empresas brasileiras e estrangeiras se focam na gestão de resíduos como ferramenta essencial na busca de eficiência energética. Ou seja, a palavra de ordem é produzir energia a partir de todo tipo de resíduo, iniciando pelo lixo orgânico, como os gerados por mercados de abastecimento de frutas e verduras; pelos resíduos urbanos, o que é mais comumente chamado de lixo; pelos resíduos agroindustriais, vindos da indústria de biodiesel, como a glicerina; para os efluentes, que são os esgotos humanos ou provenientes de frigoríficos.

Dentro deste contexto, a ERGOSTECH Renewal Energy Solutions, uma empresa brasileira do ramo de biotecnologia, nasceu em 2004 com o propósito de trazer inovação para o setor de biotecnologia, especialmente em energias renováveis ao produzir bioenergia, especificamente bio-hidrogênio, bio-metano e bio-produtos a partir de resíduos agroindustriais. “Queremos solucionar os problemas ambientais das indústrias geradoras de resíduos, agregando valor a estes produtos transformando em bio-energia, para fechar um ciclo sustentável”.

Como carro chefe, a empresa, pertencente ao Grupo Anhumas, vem desenvolvendo, em parceria com as empresas Sapporo Brewery e Petrobras, processos para produção de bio-hidrogênio a partir de resíduos orgânicos, principalmente efluentes agroindustriais. Ao longo deste período, foi construída a única planta existente no mundo para a produção de bio-hidrogênio via processo fermentativo anaeróbio e uma estrutura laboratorial sofisticada para suporte das atividades da pesquisa em desenvolvimento, visando melhorias de processo e produtividade. Neste sentido, e visando contribuir para o desenvolvimento sustentável do Brasil, a ERGOSTECH tem como missão fazer diferença na ciência e contribuir para a evolução sustentável da humanidade.

 

02