A utilização de resíduos para a produção de bio-produtos, em específico a energia renovável não é apenas um assunto constantemente em pauta tanto no Brasil como no exterior. Empresas brasileiras e estrangeiras se focam na gestão de resíduos como ferramenta essencial na busca de eficiência energética. Ou seja, a palavra de ordem é produzir energia a partir de todo tipo de resíduo, iniciando pelo lixo orgânico, como os gerados por mercados de abastecimento de frutas e verduras; pelos resíduos urbanos, o que é mais comumente chamado de lixo; pelos resíduos agroindustriais, vindos da indústria de biodiesel, como a glicerina; para os efluentes, que são os esgotos humanos ou provenientes de frigoríficos.

Dentro deste contexto, a ERGOSTECH Renewal Energy Solutions, uma empresa brasileira do ramo de biotecnologia, nasceu em 2004 com o propósito de trazer inovação para o setor de biotecnologia, especialmente em energias renováveis ao produzir bioenergia, especificamente bio-hidrogênio, bio-metano e bio-produtos a partir de resíduos agroindustriais. “Queremos solucionar os problemas ambientais das indústrias geradoras de resíduos, agregando valor a estes produtos transformando em bio-energia, para fechar um ciclo sustentável”.

Como carro chefe, a empresa, pertencente ao Grupo Anhumas, vem desenvolvendo, em parceria com as empresas Sapporo Brewery e Petrobras, processos para produção de bio-hidrogênio a partir de resíduos orgânicos, principalmente efluentes agroindustriais. Ao longo deste período, foi construída a única planta existente no mundo para a produção de bio-hidrogênio via processo fermentativo anaeróbio e uma estrutura laboratorial sofisticada para suporte das atividades da pesquisa em desenvolvimento, visando melhorias de processo e produtividade. Neste sentido, e visando contribuir para o desenvolvimento sustentável do Brasil, a ERGOSTECH tem como missão fazer diferença na ciência e contribuir para a evolução sustentável da humanidade.

Bio Hidrogenio e a ERGOSTECH

O bio-hidrogênio pode ser prontamente empregado como combustível para movimentação de veículos ou geração de energia com vantagens estratégica, econômica, ambiental e social.

No campo estratégico, tem-se a geração descentralizada de combustível e energia próximos aos pontos de produção de resíduos. Na parte econômica, tem-se a utilização do combustível disponível no local com baixo custo e produção de bio-fertilizante que pode ser comercializado para uso em reflorestamento ou em jardinagem urbana. Na área ambiental, há uma destinação adequada dos resíduos e utilização do bio-hidrogênio como combustível renovável para fins energéticos, seja veicular ou para geração de energia, e finalmente na área social, o efluente líquido gerado no processo poderá ser empregado como fertilizante orgânico sendo parcialmente devolvido ao produtor rural fornecedor dos hortifrutigranjeiros aumentando a sustentabilidade de toda cadeia produtiva.

Para alcançar a produção contínua do bio-hidrogênio em escala industrial, o que é o grande desafio atual da empresa, a ERGOSTECH enxergou também como oportunidade a Lei n 12.305, a Lei dos Resíduos Sólidos, além de mais de 6 milhões de toneladas de resíduos gerados pelos indivíduos anualmente somente no Brasil.

Além destes resíduos gerados pelos indivíduos, a comercialização de produtos da agroindústria para distribuidores nacionais e consumidores finais é realizada principalmente por Centrais de Abastecimento como CEASA (Centrais de Abastecimento). Os Mercados de Hortifrutigranjeiros de uma forma geral movimenta de 20 mil a 150 mil toneladas de frutas, verduras e legumes por mês, gerando uma elevada quantidade de resíduos durante a manipulação dos produtos (CEASA, 2012).

Além do grande problema enfrentado pela indústria de açúcar e etanol (vinhaça) e pelas Centrais de Abastecimento (resíduos orgânicos), assim como os municípios para com os resíduos gerados, encontramos gargalos nas usinas produtoras de biodiesel (glicerina). Apenas como referência e a fim de sumarizar, dentre os resíduos a serem tratados destacam-se plantas de biodiesel (59 unidades no Brasil), destilarias de etanol (413 unidades no Brasil), Centrais de Abastecimento de Frutas e Verduras (mais de 56 unidades no Brasil, resíduos sólidos orgânicos urbanos (geração de mais de 62 milhões de toneladas por ano).

Reconhecendo o potêncial industrial, know-how científico e gerencial, a ERGOSTECH consolidou sua parceria junto a Petrobras e a cervejaria japonesa Sapporo Brewery, através de Termos de Cooperação tripartite , e obteve um enorme sucesso na consolidação da tecnologia para produção de bio-hidrogênio.

Na atual conjuntura as três empresas vem trabalhando fortemente no projeto executivo para implementar o escalonamento desta tecnologia consolidada nacionalmente, e para viabilizar este grande sonho, e de alto impacto, requer ainda de um investimento considerável, através do apoio de outras instituições nacionais que enxergam como oportunidade em um projeto que visa agregar valor aos Resíduos Sólidos, tratando-os e transformando-os em energia renovável, além de desenvolver e alavancar o conhecimento científico nacional, trazendo a toda comunidade para comprometer com questões ambientais.